quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

MATEMÁTICA NA RUA



Interessante projecto de mostrar matemática na Rua, no qual participa a portuguesa Sara Santos, divulgadora de ciência na Royal Institution de Londres.

5 comentários:

  1. O jovem que escolher o curso de Matemática animado por estes espectáculos vai arrepender-se amargamente. Porque isto não é, nem de longe nem de perto, Matemática ou coisa parecida. Mas hoje o que domina é o marketing, o que interessa é engatar alunos, se vieram enganados que se lixe. Desde que paguem propinas...

    ResponderEliminar
  2. De facto estudar Matemática é passar horas e horas sentado a uma secretária a tentar perceber demonstrações ou fazer novas demonstrações. Tem pouco a ver com o que as imagens mostram. A ideia do aprender a brincar e confundir o estudo com a diversão é muito perniciosa.

    Joaquina Mendes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todas as professoras de matemática que tive até ao 12º ano pensavam desta forma e demonstravam-no na forma como nos aborreciam com a matemática. O corolário de a matemática ser uma coisa tão séria e aborrecida era que o primeiro prazer que encontravamos nela era deprezá-la como coisa inútil. E readquirir o gosto e o prazer que dá a matemática é difícil, acreditem. Quando muito chega-se a reconhecer que é uma coisa útil, assim como a contabilidade, os cangalheiros e as agências imobiliárias. E só muito por acaso, um professor com brilho nos olhos, ou uns livros perdidos de Bento de Jesus Caraça, Jorge Buescu ou Ian Stewart, poderão salvar a matemática, ainda que por pouco tempo, do desprezo eterno de um jovem que irá transmitir esse sentimento aos filhos e aos netos. Já sobre a questão das horas e horas na secretária, leia-se o que diz o Ian Stewart na "Carta a uma jovem matemática" ... O exercício profissional da matemática não é para todos, mas todos podem sentir o prazer que pode conter. E eu não sou matemático.

      Eliminar
  3. O que diz está muito bem só que não é Matemática nem tem a ver com a Matemática. Marketing é outra coisa. Esqueça o que leu de Buescu e de Stewart e tente ler o que eles escreveram com o nome de paper. Isso é Matemática e verá a diferença. Utilidades e aplicações: uma das características do homo sapiens sapiens que o distingue do resto da bicharada é o enorme interesse que tem por coisas inúteis. Não se arrelia com os que desprezam a Matemática. Há quem despreze a Música, a Poesia o Desporto, o Sexo, etc. Há gente para tudo. Felizmente não se corre o risco da monotonia com as pessoas. A Matemática (não me refiro ás diculçgações, refiro-me à Matemática) é mesmo uma coisa dura e muito difícil, não tenha dúvidas. Bento Caraça foi um matemático? O que ele escreveu é fácil de ler?

    ResponderEliminar
  4. "mas todos podem sentir o prazer que pode conter". Anónimo das 06:27: você mesmo demonstra que exagerou com a palavra "todos".

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.